17 ago O que é melhor: Marketing de conteúdo ou mídia paga?

Nosso processo de decisão é muito impactado pelo marketing de conteúdo – ou inbound marketing, como é chamado em inglês. Em tempo: marketing de conteúdo é quando uma marca, empresa ou personalidade passa produzir conteúdo para divulgá-la e também para informar o usuário no processo decisório. Exemplo:

    1. Você quer viajar para algum lugar nas férias. Qual o caminho seguir no processo de tomada de decisão?
      1. Procurar no google algo como ‘viajar férias” ou “melhores destinos de viagem”
    2. Perguntar para amigos e conhecidos – via redes sociais virtuais (Facebook, Instagram, Whatsapp, Twitter) ou reais – falando diretamente com alguém.

Vamos sugerir que você decida primeiramente procurar no Google. Veja os resultados:

Reprodução da busca para busca de viagens.

Temos as três primeiras posições pagas – via plataforma Google Adwords; as duas seguintes são orgânicas, ou seja, aparecem pela relevância do conteúdo.

Mais da metade dos usuários não buscam além da primeira página de pesquisa. Isso mostra a importância de estar bem rankeado nos buscadores. Porém, a questão que fica é:

          1. Enquanto as três primeiras posições – Decolar, Trip Advisor e TAM Viagens – se deu de maneira paga, as duas opções seguintes – Melhores Destinos – não envolveram pagamento ao Google.

São duas estratégias de marketing digital: mídia paga e inbound marketing.

Como vamos falar de inbound marketing, o foco será na estratégia adotada pelo site Melhores Destinos (MD) para aparecer em primeiro lugar.

O MD tem os seguintes diferenciais:

          • O próprio nome do site deixa claro sobre o assunto;
          • quantidade de atualizações
          • conteúdos relacionados
          • links para o site

Além desses parâmetros, outros diferenciais determinados pelo Google levam o MD a ocupar as duas primeiras opções entre a busca não paga. Vale destacar que, no caso da busca orgânica, tal resultado passa mais credibilidade, visto que o MD não pagou ao Google para chegar ao topo.

“Tanto faz se é pago ou não, o que importa é chegar lá” – você pode pensar.

Nem sempre. Isso porque a mídia paga é mensurada como um leilão, o chamado Custo Por Clique (CPC). Quanto mais concorrida for a palavra-chave, maior será o custo por clique para o anunciante. Existem palavras-chave que custam 56 reais o clique! Imagina se você tiver 1000 cliques em um dia? São 5600 reais de mídia investida em 24 horas.

Já o marketing de conteúdo funciona de maneira diversa: seu conteúdo levará bem mais tempo para ficar bem rankeado. O MD levou seis anos para atingir o patamar em que está sem ter que pagar ao Google. O foco do blog é justamente conteúdo de qualidade, aliado a uma alta periodicidade de postagens e de acessos.

No entender do Google, essa combinação de fatores o leva ao primeiro lugar da busca orgânica. Já o Trip Advisor, TAM Viagens e Decolar pagaram para ocuparem o espaço.

Para o processo de tomada de decisão do investimento de marketing, duas perguntas devem estar claras:

          1. Estratégia 1: crescer organicamente, levando mais tempo e investindo em marketing de conteúdo?
          2. Estratégia 2: aparecer rapidamente na busca e, para isso, pagar continuamente ao Google para manter-se bem posicionado.

Via de regra, a melhor estratégia é a combinação das duas opções:

  •  Investir em mídia paga sem deixar de produzir conteúdo próprio. O orgânico é um conteúdo produzido por você e passa crebidilidade, podendo ser usada para vender sua marca por tempo indeterminado;
  • pagar links patrocinados aparentemente dá retorno mais rápido, porém  implica em estar submetido a regras dos leilões virtuais, que são voláteis e podem literalmente sugar seu investimento em mídia.

Boa sorte na decisão!

@tatiaoki

Caroline Piguin
carol@aceleratech.com.br


BrazilUSA