como conseguir investimento?

05 out A importância do protagonismo e do sangue nos olhos para atrair investidores

Como atiçar os empreendedores da 10ª turma de aceleração da ACE, para que retornem rapidamente às palestras após um break? Fácil. Basta falar sobre as melhores práticas para conseguir investimentos.

No terceiro dia do programa Wizard, nesta quarta-feira (04/10), Arthur Garutti, COO da ACE, mediou um bate-papo com Marcelo Mitre, do Provence Capital, e Gabriel Gouveia, do Innova Capital, sobre o assunto.

>> Veja mais: Como montar um bom pitch deck?
>> Leia também: Onde encontrar um bom time?

Já de início, os convidados destacaram a figura do empreendedor como central na hora de avaliar alvos de investimento. Segundo Marcelo, sem um time excepcional liderado por alguém com paixão e “sangue no olho” – como fez questão de frisar – não há startup que resista. Gabriel fez eco à afirmação. “É melhor um empreendedor bom com uma ideia ruim do que o contrário”, disse ele.

Como conseguir investidores para uma startup?

Ao final das contas, consistência é a palavra-chave. Arthur relembrou que, enfim, as melhores startups costumam ser aquelas com resultados sólidos. E isso só é possível quando o empreendedor está focado no negócio, e não buscando recursos desesperadamente.

Quando a conversa gira só em torno de valuation e de percentuais, dificilmente levará a algum lugarArthur Garutti, COO da ACE

>> Saiba mais: Como fechar uma rodada de investimento?

A sessão foi repleta de histórias e de recomendações importantes. São dicas que muitos podem achar óbvias, mas acabam as esquecendo quando a hora chega.

Não se vendam pelo maior cheque Busquem o ‘smart money’. Ter o investidor ideal abre muito mais portas do que 1 milhão de reais a mais. Gabriel Gouveia, do Innova Capital

Tão importante quanto, é preciso assumir também um papel de protagonismo nas negociações.

O empreendedor pode fazer sua própria due dilligence com o investidor, para entender melhor se há compatibilidade ou não, além de com quem está lidando. Uma maneira, por exemplo, é conversar com empresas que estão ou já passaram pelo portfólio do fundo. Marcelo Mitre, do Provence Capital

Separar para fortalecer

marketplace no wizard

No primeiro dia do Wizard, os empreendedores já haviam sido alertados para não se acostumarem com o ambiente de comunhão. O processo de aceleração é bastante individualizado, com foco em cada startup, especificamente.

Uma primeira mostra dos caminhos separados já ocorreu na manhã desta quarta, quando a turma se dividiu para conversar separadamente com seus aceleradores e avançar em temas mais específicos de cada negócio.

Na parte da tarde, a separação foi de acordo com seus modelos de negócios. Os empreendedores puderam para participar de imersões em dois temas: plataformas e marketplace, ministrada pelo acelerador LG Lima, e em softwares como serviço (SaaS), conduzida pelo acelerador Sulivan Santiago.

Em cada uma das salas, os empreendedores viram com detalhes as nuances de cada modelo. Assim, puderam saber um pouco mais sobre o que torna um negócio viável em cada vertente e as maneiras de converter ideias em receitas de fato.

marketplace para startupsLG, por exemplo, apresentou cases de empresas que, em algum momento, concorreram para solucionar a mesma dor dos clientes. De MySpace a Facebook, de Craiglist a Airbnb, saiu-se melhor quem prestou muita atenção a um componente essencial da criação de plataformas: dados.

Em sua aula, Sulivan deixou algo claro aos empreendedores, ao tocar em um tema delicado e definitivo, a precificação. Segundo ele, “quem define preço é o consumidor”.

A partir daí, apresentou diversas modalidades de cobrança em empresas de software como serviço, e lembrou a todos de se atentarem a um detalhe: é preciso considerar as particularidades dos brasileiros em relação a preços, em vez de apenas copiar soluções que funcionaram lá fora.

marketing e estratégia

Vendas, marketing e estratégia

O terceiro dia do Wizard ainda tocou em pontos fundamentais. Convidado a falar sobre como formar uma máquina de vendas, João Marcos Oliveira, fundador da Asapp, que participou da 3ª turma de aceleração da ACE, detalhou métodos, lógicas e nuances de todo o processo comercial – da prospecção ao contrato.

É preciso estar atento à estratégia, mas também estar de olhos abertos para o imponderável, que irá acontecer.João Marcos Oliveira, fundador da Asapp

Estratégia também foi tema da palestra de Felipe Collins, head de marketing da ACE. Com diversas indicações de leitura, ele falou sobre como construir uma estratégia que faça sentido para cada tipo de negócio.

É muito arriscado depender só de mídia paga. No dia em que aparece um concorrente com mais dinheiro, você se dá mal Felipe Collins, head de marketing da ACE

Startup Awards

Está aberto o período de indicações para o Startup Awards, principal prêmio de startups do Brasil. Uma das categorias é aceleradoras. Acreditamos que há uma porção de motivos para você nos indicar, então contamos com seu apoio.

Indique a ACE para melhor aceleradora do Brasil

— Hugo Vidotto, especial para o Blog da ACE

Gabriel Ferreira
gabriel@goace.vc

Gabriel Ferreira trabalha na área de conteúdo da ACE



BrazilUSA