11 set Os 3 pilares para um aplicativo de sucesso

appA crescente demanda e utilização dos dispositivos móveis tem entusiasmado muitos empreendedores a criar “aplicativos geniais” ou pelo menos cogitar essa possibilidade. Afinal, quem nunca teve uma ideia de um app incrível que todos usarão? Mais do que uma boa ideia ideia, o aplicativo precisa ter uma execução incrível e estar amparado em três pilares fundamentais: O propósito de valor claro, fazer parte do contexto diária das pessoas e precisa ser divulgado. Ou o que você acha que o Whats App, Tinder, Spotify, Instagram e outros fizeram para conquistar as pessoas e a fama?

Primeiramente, as pessoas de modo geral acham que é fácil criar um bom aplicativo. Doce ilusão. É preciso entender que é o conjunto da obra que determina o que vai ser sucesso ou não. Então vamos a discussão dos três pilares que citei.

1. O propósito de valor claro

Gostou do que leu até agora?

Que tal se cadastrar para receber os posts sempre em primeira mão? :)

Você sabe o que é de verdade um propósito de valor? “A abordagem filosófica descreve-o como nem totalmente subjetivo, nem totalmente objetivo, mas como algo determinado pela interação entre o sujeito e o objeto*”. É a base fundamental de qualquer ideia. Você precisa ter bem clara qual é a missão do seu aplicativo e como ele fará diferença na vida das pessoas. Sim, tão importante e ao mesmo tempo tão complexo.

A construção de um Propósito de Valor passa pela intersecção entre os interesses das pessoas e o serviço ou entrega de conteúdo que se sugere entregar. Mas ainda é cedo pra se pensar na forma como isso irá ocorrer. Entenda que o mais importante aqui é DEIXAR AS FUNCIONALIDADES POR ÚLTIMO e focar nas amarrações conceituais do que se pretende entregar. Por quê? Pra quem? Com qual finalidade? Com que finalidade? E quando você estiver com todas essas perguntas respondidas as faça novamente até esgotar possibilidades.

Para entender para quem é preciso pensar em dois caminhos básicos diferentes: nicho ou massa? Isso muda tudo, desde a pegada de como será desenvolvida a ideia até quais plataformas (iOS, Android, Windows…) utilizar. Você não vai agradar o mundo inteiro, e o entendimento das culturas regionais (de hábitos gerais e também de navegação mobile) farão toda a diferença na hora de escolher e detalhar a missão da sua ideia brilhante de aplicativo. Tá aí o We Chat que não dos deixa mentir. O fenômeno Chinês era um dos messengers mais utilizados do mundo e nem se quer estava fora do mercado de seu país.

Bem, mas os detalhes de como entender a audiência falaremos a seguir. No momento em que a proposta de valor estiver definida e você começará a escopar o seu projeto.

2. Contexto de uso

O princípio básico é encontrar despertar a satisfação do usuário ao utilizar seu aplicativo. Ao ponto que que retorne e se transforme em um usuário ativo. Melhor ainda se ele realizar indicações aos seus amigos e se tornar o embaixador do seu incrível projeto.

Para que tudo isso aconteça é preciso conhecer bem com quem se quer falar: Que tipo de pessoas são? Quais suas expectativas? Como ele se comporta nas atividades diárias em que seu aplicativo estará envolvido? O que ela já faz bem ou mal sem que ele exista? Vale observar quem são essas pessoas no estilo comportamental, social de personalidade e interesses. Criar diversas personas e mapear o passo a passo dessas pessoas no seu ritmo de vida natural.

Um exemplo rápido: a fotografia está presente na história da humanidade desde que é registrada em pedra. Ela sempre foi registrada para ser mostrada para os outros um momento, uma pessoa, um lugar. Há anos atrás nossas famílias guardavam álbuns de fotos pesados do casamento, do natal… E sem falar daqueles slides de viagens que seu Tio passava um a um em uma tortura eterna sábado a noite. Chegamos ao mundo das redes sociais e os álbuns estavam lá super valorizados e as pessoas preocupadas em organizá-los com as melhores fotos. Aí vem o smartphone com câmeras incríveis, e o que faz mais sentido ali já que as pessoas estão na rua com coisas incríveis acontecendo do lado delas? Tirar e compartilhar suas fotos via Instagram com a maior facilidade, fazendo todo mundo pensar que é um bom fotógrafo era uma necessidade a ser atendida.

É isso! Simples, não é?

E isso tudo nunca termina, pois o trabalho duro de verdade começa quando o aplicativo vai ao ar.

Comunicação e marketing

Há um universo de aplicativos à disposição das pessoas. Se os passos anterior foram bem desenvolvidos a ponto de atender bem ao target você terá um diferencial. Mas não basta existir, as pessoas tem que conhecer o seu aplicativo. Caso contrário você simplesmente fará parte das estatísticas dos apps não baixados, ou que não chegam aos 200 mais usados de sua categoria. O investimento em comunicação para divulgar seu aplicativo deve estar previsto no plano de negócios.

Se o seu projeto tem um apelo mais popular e voltado para o público final fica um pouco mais fácil montar o plano de mídia. O Facebook por exemplo possuí vários formatos de Ads que podems fazer sentido para os diferentes tipos de aplicativo. Não se engane ao pensar que apenas o formato com o botão de download funciona, é preciso esperimentar os diferentes modelos porque dependendo do perfil do seu app o público assimilará melhor um ou outro.

Vídeos para o próprio Facebook e YouTube podem ser muito bons para um entendimento melhor da sua proposta de valor. Lá fora os vídeos funcionam muito bem em alguns casos e precisamos trabalhar melhor isso aqui no Brasil. Você também precisa ter uma landing page na web. Muitos aplicativos são para iOS e Android, e ter esse ponto de contato favorece para que você traga os usuários de qualquer plataforma. Com a landing também fica viável trabalhar com Ad Words do Google.

Já para os aplicativos com foco no mercado corporativo ou de trabalho precisam de uma comunicação diferente. Aí um plano mais específico precisa ser planejado. Vai depender de cada caso, mas um bom ponto de partida pode ser entender como o seu projeto se encaixa no dia a dia daquele profissional. Assim você pode atacar esse ponto para que seu projeto seja visto como relevante.

Algumas comunicações mais tradicional, como, por exemplo, emails marketing, mala direta, display em locais de trabalho e ações de marketing de relacionamento podem ajudar. E se você for trabalhar com mídias impressas ou displays, nunca substime o poder do QR Code.

Bem, mas nada disso funciona se seus metadados (descritivo na loja de aplicativos) estiver ruim. É de fundamental importante que você dê toda atenção para forma como você descreve seu aplicativo e funções, caprichar nas telas que estarão na página do aplicativo e estimular que os usuários façam bons reviews. Sem contar nas key words de busca que precisam ser muito bem trabalhadas. A loja é o seu PDV para o aplicativo. Se não for bem cuidada e atrativa, todos os esforços de comunicação citados acima serão nulos.

Você tem muito trabalho. Então, mãos à obra!

Equipe ACE
contato@goace.vc

A Equipe ACE é formada por profissionais multidisciplinares e apaixonados por empreendedorismo e startups :)



BrazilUSA