investidoranjostartups

15 jun Investidor anjo: o que é e como se tornar um?

Todo mundo quer investir e ser sócio de uma startup que se torna um unicórnio. Mas esse privilégio ainda é escasso – existem pouquíssimas empresas de valor bilionário no mundo, sendo que nenhuma delas fica na América do Sul – e escolher onde colocar o seu dinheiro ainda é uma tarefa bem complicada.

Quando se acerta, os múltiplos de retorno podem superar em dezenas de vezes o valor investido, mas você trabalha com as exceções – e não a regra. Estudos mostram que cerca de 7 em cada 10 startups que receberam algum dinheiro de investidores fecham as portas antes de 5 anos de existência.

Isso significa que todo o capital que o investidor colocou como aporte em uma startup foi perdido. Por isso, podemos classificar o investimento em startup como uma operação de altíssimo risco.

Gostou do que leu até agora?

Que tal se cadastrar para receber os posts sempre em primeira mão? :)

Como as grandes teorias de investimento sinalizam quando se trata de alto risco, você deve investir apenas uma pequena fração de seu patrimônio nesses tipos de ativo. Ainda em linha com teorias de investimentos, você deve diversificar ou colocar diferentes ovos em diferentes cestas. O recomendável neste caso é a criação de um portfólio com variedade de ao menos 10 empresas, para mitigar o risco e aumentar a probabilidade de retorno, além de incrementar as chances de estar a bordo de uma startup unicórnio.

Quem é o investidor anjo

quemeinvestidoranjo

O investidor anjo é hoje a maior fonte de capital para startups, seja em fase final de validação ou na etapa de crescimento. Usualmente, um investidor anjo tem sólidos conhecimentos em negócios, finanças, e/ou de um mercado específico.

No Brasil, o perfil do investidor anjo geralmente é de um ex-empreendedor que teve sucesso em sua startup e quer começar a apoiar o ecossistema, ou executivos de grandes empresas que buscam diversificar seu patrimônio e usar seu conhecimento para encontrar novas oportunidades de investimento. Esses anjos investem em empresas inovadoras dentro de mercados em que têm expertise e que possam agregar outros recursos como conhecimento, experiência e rede de contatos em prol do sucesso da startup apoiada.

> Leia também: Como começar a investir em startups

O ticket médio do investimento varia entre R$ 10 mil até R$ 1 milhão, e o valor (valuation) das startup também pode variar até o máximo estimado de R$ 4 milhões – a partir desse preço, o território é mais explorado por fundos de Venture Capital (VC).

Como funciona o investimento anjo

Gráfico mostra o fluxo de investimento e financiamento das startups de acordo com o estágio dela na Jornada do Empreendedor

Gráfico mostra o fluxo de financiamento das startups de acordo com o estágio dela na Jornada do Empreendedor

Basicamente, o investimento funciona com o investidor dando capital na startup em troca de equity, ou seja: ações da empresa.

O Anjo terá ações preferencias da startup, ou uma dívida conversível em papeis da empresa. Se o acordo for guiado pela segunda opção, significa que o investidor está na verdade emprestando dinheiro à startup, e pode converter o “pagamento” em ações da empresa em um espaço de tempo acordado entre as duas partes.

Para amplificar os seus esforços, Anjos normalmente investem em grupo. Existem diversas associações e rede de investidores que assessoram interessados nessa modalidade financeira, como a Anjos do Brasil, em São Paulo, e a Gávea Angels, no Rio de Janeiro, entre diversas outras.

Essas associações criam redes interessantes de contatos, buscam e apresentam startups para seus parceiros e assessoram na documentação do acordo, todos estes fatores muito importantes para esse tipo de investimentos. Se você ainda é novo nesse mercado, a recomendação é de se juntar a um grupo de anjos ou co-invista com outros investidores.

Uma aliança de investidores anjos significa que todos estão investindo nos mesmos termos e por meio do mesmo contato. Geralmente existe um ‘líder’ que negocia os termos e representa os demais colegas. Uma maneira fácil para começar a investir como anjo é encontrar um colega que já faz isso, e buscar ser incluído em seus grupos. Então, tudo que você tem a fazer é acompanhar esse parceiro, ouvir pitches e tomar a decisão de investir ou não.

Se você não tem esse contato fácil, pode se guiar também por exemplos de termos de investimento e documentos padrão que estão disponíveis na internet, como no National Venture Capital Association. Porém, obviamente, você deve ter um advogado para rever tudo antes da assinatura.

Rodadas seguintes

Angels-lifting

Conforme a Startup avança, novas rodadas de investimento deverão acontecer para continuar a financiar o rápido crescimento. Por meio do acompanhamento das empresas, os investidores de sucesso buscam identificar quais estão performando melhor e continuar investindo nelas.

Em razão do melhor entendimento e do estágio mais avançado da empresa, os anjos têm a opção de investir com menor risco e maior probabilidade de acerto. Então, guarde capital para rodadas seguintes de investimento. Investimento em estágio inicial geralmente dá direito a participação em rodadas seguintes.

Em conclusão, você como anjo deve pensar em investir uma quantia baixa do seu patrimônio, sempre buscando ter um portfolio amplo e diversificado. Procure anjos parceiros onde possa criar uma rede que traga oportunidade e conhecimentos. E, quando investir, guarde um pouco de recursos para rodadas subsequentes e invista em negócios que estejam mais validados e aumente a sua chance de sucesso.

Está é a parte 1 de 3 artigos sobre anjos. Nos próximos artigos vamos comentar sobre como fazer o valuation de startups em estágio iniciais, e, por último, o funcionamento dos contratos de mútuos, principal instrumento de investimento utilizado por anjos.

Participe de nossa comunidade de investidores!

Guilherme Lima
guilherme@goace.vc


BrazilUSA