30 abr O empreendedorismo “Hype” e a vida nas trincheiras

empreendedorismo trincheira

Hoje um amigo veio me apresentar uma ideia para uma startup. Se eu tivesse visto essa mesma ideia há mais ou menos dois anos, quando comecei a trabalhar na Aceleratech, provavelmente eu teria achado a ideia genial, hoje, nem tanto.

Há dois anos, eu tinha uma ideia totalmente diferente do mercado de startups, vendo os cases de empresas que receberam investimentos milionários apenas com um Powerpoint ou uma ideia (geralmente relacionadas à mídias sociais, aplicativos ou e-commerce), e é comum que achemos que o mercado se resume a isso. Muito pelo contrário. Nesses últimos anos percebi que essas são as exceções, não a regra, e as startups que se tornam as melhores e que recebem mais investimento não são esses aplicativos ou empresas em estágio inicial, mas sim as que tem uma visão de monetização e que conseguem se manter no fim do dia.

Gostou do que leu até agora?

Que tal se cadastrar para receber os posts sempre em primeira mão? :)

Vejo um caminho comum em muitos empreendedores para a criação de suas startups que geralmente inicia com “ Que mercado eu amaria atuar?” e a partir disso é criado um problema e uma solução. Se sua ideia de empreender se resume em uma vida confortável e ser o seu próprio chefe, pode ser que você a alcance com essa maneira de criar uma empresa (mesmo assim, recomendo que você faça um estudo de mercado e uma pesquisa de validação, afinal, não é legal gastar toda suas economias uma empresa que estava fadada a falir desde o primeiro momento, certo?). Mas se o seu sonho é criar uma empresa bilionária e ser um gigante do empreededorismo no país, eu sugiro fortemente que você tenha outra abordagem na criação de sua empresa, e eu vou explicar o porquê.

Vamos começar por um dos pontos principais:O mercado. Para criar uma empresa bilionária, você precisa de um mercado bilionário. Parece simples, mas isso na prática é muito menos utilizado do que parece. Calcular o tamanho de mercado é muito mais do que pegar os números de seu mercado macro. Você tem que segmentar muito, até entender qual a fatia desse mercado que você quer alcançar, e quanto isso significa. Spoiler: Mercados não bilionários são mercados considerados pequenos. Isso porque é quase impossível que uma empresa detenha 100% de um mercado. Quando você calcula se sua empresa é viável, você quer se impressionar com os 5 a 10% que você vai conseguir deter.

Como segundo ponto, devo lembrar que no exemplo acima o empreendedor supôs um problema para que a empresa se encaixe em sua vida, mas se a dor que sua startup resolve não for gigante, as pessoas não vão pagar pelo seu produto/serviço, e aí você tem um problema. Se você vai gastar seu tempo e dinheiro para fazer uma empresa, é importante se munir de provas que ela vai dar certo, certo? Mas como fazer isso?

Aqui na Aceleratech, nós falamos muito sobre validação, e isso tem um motivo. É a validação que vai te mostrar em média qual a chance sua empresa tem de dar certo. E para validar, não adianta fazer pesquisa online ou apenas fazer entrevistas com possíveis clientes e entender se eles acham legal. Lembre-se: Os brasileiros tendem a ser gentis com ideias dos outros, então muitas vezes o “Sua ideia é genial” significa “ É uma ideia legal mas não me atende”. Teste se as pessoas estariam dispostas a pagar pelo benefício que você oferece. Observe as reações, a linguagem corporal e tente conseguir alguma validação financeira (nem que inicialmente você tenha que fazer todo o trabalho manualmente).  E apenas por fim gaste o seu tempo e dinheiro na criação efetiva do seu produto.

Uma grande dica, que aprendi nesses anos é que você pode deixar de lado o desejo de que sua startup seja sexy, e esteja na moda, até porque não existe negócio mais sexy do que uma empresa que já fatura e tem um plano claro e real para multiplicar o seu crescimento.

Por isso, quando esse meu amigo veio me apresentar sua startup eu não adorei a ideia, nem tampouco incentivei que ele seguisse com ela antes de fazer todo esse processo, e o mesmo eu recomendo para todos os empreendedores que vem falar comigo sobre suas futuras startups. Antes de gastar o seu tempo e dinheiro, dedique algumas semanas entendendo se é essa mesmo sua ideia milionária. Não? Sem problemas, segue para a próxima! Com certeza você será um empreendedor muito mais qualificado e preparado para o desafio!

Caroline Piguin
carol@aceleratech.com.br


BrazilUSA