26 dez A grande diferença entre marketing de conteúdo Brasileiro e Americano

7499117100803_xW08MXit_lHá duas semanas um grupo de alunos de MBA da Universidade de Texas veio visitar a Aceleratech, e percebi que grande parte de suas dúvidas eram relativas às diferenças entre a atuação dos empreendedores aqui e nos Estados Unidos pergunta chamou minha atenção: “Quais as principais diferenças entre o mercado digital no Brasil e nos Estados Unidos, e por onde uma empresa de qualquer segmento deve começar?”.

Apesar de ter dado uma resposta curta, para o bom andamento da visita, essa dúvida me fez refletir bastante, e gostaria de compartilhar algumas opiniões sobre o tema, específicamente sobre o marketing de conteúdo, e como ele se integra com a estratégia macro de marketing. Para isso, farei esse post em duas partes: A diferença entre mercados e oportunidades para as startups, e como, de fato implantar isso.

Admito que sou extremamente consumista. Consumo propaganda, intencionalmente, consumo conteúdo e inevitavelmente, produtos. Nos dois primeiros casos, gosto de fazer uma auto análise: O que dessas ações de marketing funcionaram realmente para mim? E por que?

Gostou do que leu até agora?

Que tal se cadastrar para receber os posts sempre em primeira mão? :)

Desse modo consigo identificar quais são, de fato, as ações aplicáveis no meu dia a dia, com as modificações necessárias para meu mercado, claro.

Há algum tempo, tenho percebido uma movimentação de empresas americanas, principalmente, no sentido de criação massiva de conteúdo e aproximação com o cliente. Pensando nas coisas que tenho observado no meu próprio comportamento consumidor, é isso que dá certo. Busquei alguns estudos para entender se isso era apenas uma impressão. Os dados são impressionantes.

A Content + divulgou que conteúdo de qualidade é um dos 3 principais motivos no qual as pessoas seguem marcas nas redes sociais, a Social Media B2B afirma que empresas com blogs geram cerca de 67% mais leads do que as demais. Além do crescimento da audiência e mais leads, a geração de conteúdo ainda tende a criar clientes mais satisfeitos, e aumenta a probabilidade de um consumidor transformar-se em um real embaixador da marca. Uma pesquisa do Content Marketing Institute aponta que 70% dos consumidores acreditam que marketing de conteúdo os faz sentir mais próximos de uma marca. Tudo isso sem incluir que o conteúdo, quando integrado com a estratégia de marketing melhora seu ranqueamento nos mecanismos de pesquisa.

Certo. Mas e a grande diferença entre os mercados?

Nos estados Unidos, o marketing de conteúdo já é uma prática reconhecida e amplamente falada, com estudos específicos, empresas cujo business é a produção de conteúdo, e outras que usam essa tática como forma de aumentar sua receita e se comunicar diretamente com seus públicos.Por produção de conteúdo não quero dizer apenas a criação de um blog, mas sim a alimentação constante deste e outros canais de comunicação com conteúdo relevante. A contratação de profissionais específicos para esse área está crescendo exponencialmente, e o mercado já está começando a se regular, apesar de ainda ter muito espaço. Com cada vez mais empresas se aventurando nessa nova tendência, consequentemente a qualidade dos conteúdos também cai bastante, já que os assuntos precisam de uma abordagem nova e fresca, além de informações realmente relevantes. Com esse novo cenário, o nível de qualidade exigido pelos leitores também aumenta, colocando apenas os criadores de conteúdo muito bons em evidência.

Trazendo agora a discussão para o mercado brasileiro, pense em quais empresas brasileiras que você visita o blog constantemente. Melhor do que isso, quais as últimas empresas brasileiras que te engajaram realmente com sua comunicação digital, e com o conteúdo específicamente? O marketing de conteúdo aqui no Brasil está engatinhando, e apesar de ver algumas empresas que realmente fazem bem esse tipo de tarefa, ainda não temos grandes referências desse segmento.

Vejo que no brasil ainda temos muito mais demanda do que oferta, o contrário da situação nos Estados Unidos, Ao mesmo tempo, esses consumidores de conteúdo muitas vezes buscam as soluções americanas para suas respostas, o que significa que eles já tem uma ótima base de conteúdos digitais para comparação.

O que isso tem a ver com minha startup?

Vemos aqui na Aceleratech que uma das principais dificuldades de uma startup é criar uma identidade consistente que se estenda para o planejamento de marketing e transpareça em todas as mídias. Além disso, existe a dúvida sobre como uma empresa pequena pode, sem muito esforço e investimento, alcançar novas oportunidades e mercados.

Como eu disse acima, ainda existe um espaço enorme para boas estratégias online no mercado. Acho espantoso como grande parte das empresas, multinacionais inclusive, não investem em alinhamento de suas estratégias de marketing. E você, como gestor de uma startup não pode se dar ao luxo de não criar uma estratégia alinhada e consistente de marketing digital. E repito que, com estratégia digital, não quero dizer uma página do Facebook, mas sim a integração entre todos os seus canais, a usabilidade e otimização do seu site para mecanismos de busca, criação de conteúdo ordenada e de acordo com sua estratégia de marketing, e por aí vai.

Caroline Piguin
carol@aceleratech.com.br


BrazilUSA