10 dez Como as startups brasileiras podem dar um salto de qualidade?

salto square

Vocês já devem ter ouvido a expressão “as ideias de negócios não possuem valor algum”. Alguns empreendedores ainda se agarram com unhas e dentes às suas ideias, esperando o dinheiro de investidores para realmente tocarem o negócio e ajudá-los a colocar seu produto no ar. É claro que o dinheiro raramente vem, pois os investidores, neste estágio de empresa, avaliam principalmente a qualidade dos empreendedores e apenas não suas ideias. E um empreendedor que muito espera, sabe realmente realizar?

E é exatamente esse o ponto que gostaria de discutir neste artigo. Em nosso dia a dia na Aceleratech, percebemos que a grande parte das startups brasileiras que prosperam nesse mercado têm alguns pontos em comum. E separei três características que, a meu ver, mais contribuem ao sucesso do negócio:

Gostou do que leu até agora?

Que tal se cadastrar para receber os posts sempre em primeira mão? :)

Foco em Vendas e execução de Marketing

É muito comum nas startups que os empreendedores foquem  quase que 100% do seus esforços na ideia e no desenvolvimento do produto, ao mesmo tempo que seu raciocínio crítico sobre o processo de marketing e vendas da empresa ficam em segundo (ou terceiro, ou quarto) plano. A grande parte dos empreendedores nacionais não foi treinado para vender, como os americanos. Quando lemos as histórias inspiradoras do Vale do Silício, normalmente não pensamos que por trás de cada ideia, de cada empresa muito bem sucedida, existe um grande esforço de vendas e marketing. Acredito que toda equipe de uma startup deve saber vender e investir seu tempo para a melhoria constante desses processos. E não se engane achando que isso é uma atitude exclusivamente B2B, não se esqueça de que existem parcerias a serem fechadas e fornecedores que precisam ser convencidos que amanhã a empresa poderá ser uma importante fonte de receita. No mundo B2B, o foco em vendas é ainda maior. E quando falo em vendas, não me refiro apenas a ser persuasivo na reunião, mas em como controlar o processo por meio de um pipeline, que garante a previsibilidade das receitas.

Startups normalmente são empresas digitais, que dependem fortemente de marketing online. Os empreendedores precisam entender os conceitos de conversão, saber controlar as diversas mídias utilizadas e como fazer testes para conseguir otimizar um pouquinho mais as suas ações todo dia. Vários empreendedores dizem que, se tivessem dinheiro para marketing, conseguiriam alavancar suas empresas, mas conhecemos diversos casos de empresas que possuem dinheiro e mesmo assim não conseguem aumentar suas vendas. Marketing não é comprar mídia. Marketing é conhecer profundamente seus objetivos, entender o comportamento de seus clientes, ser criativo e manter uma visão analítica em cima de tudo que está sendo feito.  Que tal pensar em como sua empresa pode melhorar seu marketing HOJE sem aumentar a verba em marketing?

Criar métricas claras para acompanhar o sucesso

Uma startup tem recursos e tempo limitado. É fundamental entender em que direção está indo, para corrigir seu rumo constantemente. É preciso que os empreendedores sejam pragmáticos e conheçam os drivers de crescimento do seu negócio. Já vi várias teorias que complicam a definição de métricas e o acompanhamento destas no dia a dia. Esta gestão precisa ser simples e muito clara. Mas para que seja feita, é importante que os empreendedores conheçam profundamente seus modelos de negócio e quais os pontos mais críticos para o crescimento. A partir deste domínio, são escolhidas poucas métricas para serem acompanhadas e estudadas frequentemente. Uma das situações mais comuns é o caso do empreendedor que desenvolveu aquele aplicativo fantástico, que vai ajudar a vida de milhares de clientes. Na maioria das vezes, o aplicativo realmente é muito legal, mas quando começamos a estudar mais a fundo e perguntamos quanto custa para conquistar um cliente e qual a taxa de uso do aplicativo após o download, por exemplo, são raros os empreendedores que conhecem detalhadamente estes números. E não se trata de conhecê-los para impressionar investidores, mas para garantir que o negócio está indo para a direção certa.

Conhecer o tamanho do mercado

Várias ideias que encontramos são excelentes e realmente criativas, mas quando os empreendedores vão colocá-las em prática acabam sofrendo bastante para conseguir encontrar clientes e crescer. Muitas vezes isso acontece pelo desconhecimento do tamanho do mercado. Esta é uma informação fundamental para definir o investimento de tempo, esforço e capital em uma ideia. E uma preocupação importante é entender o tamanho endereçável de mercado, ou seja, qual o tamanho do mercado para a sua solução. É claro que o raciocínio se inicia em termos macro, como “mercado de saúde” ou “mercado imobiliário”, mas é importante entender qual o tamanho da fração dedicada a categoria que a startup vai focar.

Poderíamos listar diversas outras recomendações para que a qualidade das startups brasileiras aumente, mas acredito que estes pontos podem dar uma nova dimensão para a maioria dos empreendedores. O potencial do Brasil é incrível, repleto de oportunidades ainda não exploradas. Ao mesmo tempo, possuímos diversas pessoas altamente qualificadas com motivação para empreender. E é por isso que disseminar a cultura empreendedora e as melhores práticas do empreendedorismo digital pode mudar a cara do nosso país e colocá-lo, cada vez mais, como uma região propícia para a criação e crescimento de startups.

Caroline Piguin
carol@aceleratech.com.br


BrazilUSA